Navigation

Genebra continua o centro do mundo?

Conselho de Direitos Humanos da ONU apoia Comissão de Inquérito da Ucrânia

Os embaixadores, diplomatas e outros presentes na sessão urgente do Conselho de Direitos Humanos permaneceram de pé por um minuto de silêncio pela Ucrânia. Julia Crawford/swissinfo.ch
Textos traduzidos automaticamente de EN.
Este conteúdo foi publicado em 04. março 2022 - 13:43

A reunião do Conselho de Direitos Humanos da ONU em Genebra aprovou uma resolução condenando a invasão russa da Ucrânia, apelando para a retirada "rápida e verificável" das tropas russas e criando uma comissão de inquérito sobre as violações dos direitos humanos e do direito humanitário internacional na Ucrânia.

Dos 47 membros atuais do Conselho, 32 votaram a favor, com dois contra e 13 abstenções. Apenas a Rússia e a Eritreia se opuseram à resolução introduzida pela Ucrânia. As abstenções incluíram a China e Cuba.

A Suíça não é atualmente membro do Conselho, mas também apoia a resolução, disse na quinta-feira seu embaixador na ONU, Jürg Lauber, durante o "debate urgente" sobre a Ucrânia. Ele disse que a proteção dos civis deve ser uma prioridade.

Centenas de civis morreram como resultado da invasão russa lançada há uma semana, enquanto cerca de um milhão fugiu de suas casas, a maioria para os países vizinhos.

A resolução decide "criar urgentemente uma comissão de inquérito internacional independente, constituída por três especialistas em direitos humanos" para investigar alegadas violações dos direitos humanos e do direito humanitário internacional na Ucrânia e preservar provas para "futuros procedimentos legais".

Cooperação judicial

O Procurador do Tribunal Penal Internacional (TPI), com sede em Haia, anunciou no início desta semana que estava abrindo uma investigação sobre alegados crimes cometidos na Ucrânia desde o final de 2013. Isto seguiu-se a um pedido de 39 países membros, incluindo a Suíça.

A resolução do Conselho de Direitos Humanos diz que sua comissão de inquérito também deveria "cooperar com entidades judiciais e outras, conforme apropriado". Durante o debate urgente em Genebra, vários países membros saudaram a abertura do inquérito no TPI, que pode processar indivíduos por crimes internacionais (crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio). A Ucrânia também apresentou um caso perante o Tribunal Internacional de Justiça (TIJ), a mais alta corte da ONU, que rege as disputas entre Estados.

A representante permanente da Ucrânia na ONU em Genebra Yevheniia Filipenko agradeceu ao Conselho pela resolução, que ela disse "ter reunido membros da ONU de todo o mundo". Falando à imprensa após a votação, ela disse esperar que a comissão de inquérito possa ser criada o mais rápido possível, dada a urgência. A Rússia denunciou a "natureza unilateral" da resolução, dizendo que se tratava de um "desperdício de recursos" que poderia ser melhor gasto para ajudar os civis na Ucrânia.


Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?