Navigation

A Suíça é 60% mais cara do que a média europeia

Uma pessoa que gasta 171 francos suíços na Suíça gastaria em média apenas 100 euros na UE para os mesmos bens ou serviços. © Keystone / Gaetan Bally

O pequeno país alpino é o mais caro da Europa, com preços quase 60% mais altos do que a média da União Europeia (UE), segundo novo levantamento do Departamento Federal de Estatística. O franco suíço continua sendo uma das moedas mais valorizadas na comparação internacional.

Este conteúdo foi publicado em 24. dezembro 2021 - 12:00

Não é novidade que a Suíça é uma "ilha de preços altos" na Europa. Mas uma nova publicaçãoLink externo do Departamento Federal de Estatística (FSO) mostra que a situação não melhorou em 2020: uma comparação do índice de preços dos vizinhos europeus mostra que a Suíça é mais cara do que todos os países da UE e da EFTA. A Islândia e a Noruega estão em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

É verdade que os salários suíços são mais altos do que na maioria dos países da UE. Mas em troca, os residentes suíços pagam mais caro por quase todos os bens e serviços.

Em 2020, a paridade do poder de compra da Suíça era de 1,71 francos em relação ao euro, de acordo com o FSO. Na prática, isso significa que uma pessoa que gasta 171 francos na Suíça - seja em alimentos, acesso à Internet ou em uma consulta médica - gastaria em média apenas 100 euros na União Europeia para a mesma coisa. Ou seja, a população da Suíça paga 71 francos a mais do que a população europeia em produtos e serviços diários.

Conteúdo externo

Para algumas categorias, as diferenças são consideráveis: os serviços hospitalares custam mais de três vezes mais na Suíça do que na UE, a educação também é quase três vezes mais cara e o preço da carne é duas vezes e meia mais alto na Suíça. Por outro lado, os preços dos equipamentos audiovisuais, fotográficos e de informática estão levemente abaixo da média da UE.

Grandes diferenças de preço

A Suíça é o país com o maior índice de preços da Europa, com 159,3 pontos, de acordo com os dados da FSO – nesse cálculo, o nível de referência europeu é 100. O país alpino está à frente da Islândia (144,9 pontos) e da Noruega (141,2 pontos).

A Turquia tem o nível de preços mais baixos (40,8), seguida pela Macedônia do Norte (45,9) e Montenegro (50,4). Entre os países vizinhos da Suíça, a Áustria (114,3 pontos), a Alemanha (110,5 pontos) e a França (108,8 pontos) estão acima da média europeia. Já a Itália, com 99,3 pontos, está ligeiramente abaixo.

Conteúdo externo

A moeda suíça é uma das mais caras

De acordo com a teoria da paridade do poder de compra, para comparar dois países é preciso fazer uma equivalência entre as taxas de câmbio que influenciam no custo real e usar uma cesta básica de produtos.

A diferença de custos, que faz com que na Suíça seja necessário desembolsar 1,71 francos para comprar a mesma coisa que custa 1,00 euro na EU, explica porque o turismo de consumo continua atrativo para os suíços. E a tendência é que a prática continue forte, considerando a taxa de câmbio atual.

Conteúdo externo

A teoria da paridade de poder de compra se aplica principalmente a bens e serviços comparáveis. A revista britânica The Economist usa o Big Mac do McDonald's como um produto para fazer comparações. De acordo com a última edição do "Big Mac Index", de julho de 2021, o franco suíço estava quase 25% sobrevalorizado em relação ao dólar americano – a moeda de referência – na época em que o CHF 0,92 valia um dólar.

Na mesma época, o euro estava subvalorizado em 11%, a US$ 1,18. A paridade do poder de compra entre o euro e o franco de acordo com o índice Big Mac teria sido de 1,51. O franco suíço estava assim entre as moedas mais caras, juntamente com a coroa norueguesa e a coroa sueca. A moeda mais barata era a libra libanesa.

Adaptação: Clarissa Levy

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?