Navigation

Refugiados ucranianos: "Por favor, nos salvem"

Helena (esq.), Eldar (centro) e Liubava, sua filha de dois anos. Milena Nowak

A polonesa Milena Nowak acolheu uma família de refugiados ucranianos em sua casa em Zurique. Ela os encontrou através da mensagem publicada por um rapaz de 16 anos nas mídias sociais.

Este conteúdo foi publicado em 30. março 2022 - 15:45

"Peço que vocês nos salvem da agressão russa".  Foi em 4 de março, quando Milena Nowak, uma polonesa que vive em um subúrbio de Zurique, encontrou esta notícia em sua caixa postal no Facebook.

O remetente se chamava Eldar, um jovem de 16 anos residente na cidade de Zhitomir, na parte oeste da Ucrânia. O texto, escrito em inglês, falava da situação de sua mãe, Helena, e da irmã de dois anos, Liubava e pedia refúgio em algum lugar seguro na Europa. O pai ficaria para participar na defesa do país. O jovem também contou que sua mãe era professora universitária e que havia fundado uma startup. Ele contou que estudava alemão e amava a Suíça.

Milena Nowak. Milena Nowak

Em Zhitomir, a população era bombardeada pelas tropas russas. "Minha escola foi destruída. Os foguetes podem nos matar a qualquer momento. Por favor, nos salvem. Quero que minha família viva. Nos dê uma chance de viver uma vida feliz", escreveu.

Desde que a guerra começou, Milena publicou muitas mensagens no Facebook falando sobre o apoio do governo suíço aos refugiados. Porém não conhecia Eldar. Por isso foi uma surpresa receber a mensagem. Ela acredita que o grande número de ucranianos chegando na Polônia levou o adolescente a procurar alternativas, países com maior capacidade de acolher. 

Dois mil quilômetros em três dias

Milena vive sozinha em Zurique. Ela teve três dias para preparar tudo para receber a família. Nas mídias sociais pediu doações de roupas e calçados. Logo chegaram três caixas de suprimentos. E não só: alguém também doou um carrinho de passeio para Liubava e um sofá-cama para Eldar.

Conteúdo externo

Milena comprou alguns móveis: uma cômoda para roupas e uma mesa. Porém a grande parte das necessidades da família de refugiados foi coberta por doações. "Fiquei impressionada com a rapidez com que tantas pessoas ajudaram", diz.

Brinquedos, roupas e outros objetos doados à família ucraniana. Milena Nowak

A família de Eldar chegou exausta após uma viagem de mais de dois quilômetros feita em três dias. Assim que chegaram, tomaram banho e foram dormir. Milena tinha preparado uma sopa de frango, mas que só foi comida no dia seguinte.

"Minha nova família"

Embora tenham encontrado um lugar seguro, Eldar e sua mãe ainda estão preocupados. O marido de Helena retornou à Ucrânia levando consigo suprimentos médicos. Eles mantêm contato todos os dias, mas às vezes, quando Helena vê as notícias da guerra, começa a chorar.

Milena deu a Eldar um computador para que ele pudesse manter contato com os amigos que fugiram da Ucrânia.

Milena fez um bolo no formato da bandeira ucraniana para Helena no seu aniversário. "Porém acho que ela gostaria de estar em casa comemorando", diz. Milena Nowak

Agora todos vivem juntos no apartamento de 40 metros quadrados de Milena. Helena e Liubava usam o quarto de hóspedes, Milena, seu próprio quarto. Eldar dorme em um sofá-cama na sala.

Milena e Helena compartilham a tarefa de cozinhar para a família. Um dia Milena prepara comida vegetariana. No dia seguinte, Helena prepara pratos de carne.

Quando a família vai passear, Helena ensina a Milena os nomes das flores. Eles falam sobre a vida na Ucrânia, suas famílias e a alimentação. "Falamos de muitas coisas em inglês, polonês e até mesmo em ucraniano", conta.  Para ela, esta família ucraniana é sua nova "moja rodzinka", que em polonês significa "minha família".

Pfäffikon, onde vive Helena, ajudou a processar o pedido de asilo da família. Eldar já começou vai a uma escola local. A família permanecerá na casa de Milena até encontrar um apartamento.

"O que cada pessoa pode fazer é dar um pequeno passo. Se você não tem condição de oferecer um quarto, pode talvez doar dinheiro ou roupas. Esses pequenos passos se somam e se tornam um grande apoio".

Adaptação: Alexander Thoele

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?