Navigation

Rússia critica reação diplomática suíça à Ucrânia

O Kremlin nega que estava por trás das violações do direito humanitário na Ucrânia. Keystone / Yuri Kochetkov

O Ministério das Relações Exteriores russo criticou o que chamou de compreensão "arbitrária" da história do Presidente suíço Ignazio Cassis, bem como a posição neutra da Suíça em relação à guerra da Ucrânia.

Textos traduzidos automaticamente do (EN) para (PT) usando (DEEPL). Beta
Este conteúdo foi publicado em 12. abril 2022 - 16:27
Keystone-SDA/dos

Em uma declaração publicada no Twitter na terça-feira pela embaixada russa em Berna, a porta-voz diplomática Maria Zakharova criticou Cassis (também Ministro das Relações Exteriores suíço) por uma entrevista que deu ao jornal luxemburguês Le Quotidien.

Na entrevista, Cassis disse que o ataque russo à Ucrânia marcou o encerramento "de uma era - desde o fim da Segunda Guerra Mundial - quando nenhuma nação soberana e democrática do continente [europeu] havia sido atacada".

Para Zakharova, isto não é correto: "a erosão dos fundamentos do período pós-guerra e a destruição do direito internacional foram o resultado de bombas e mísseis lançados pela OTAN em cidades pacíficas da Iugoslávia em 1999", disse a declaração russa.

"Esta interpretação arbitrária, baseada em motivos políticos", é "totalmente inaceitável", disse ela.

Violações

Zakharova também aproveitou a oportunidade para criticar a reação suíça às valas comuns descobertas em Bucha, na periferia de Kyiv, na semana passada.

O Ministério das Relações Exteriores suíço "ignorou nossa declaração detalhada após os crimes bárbaros cometidos pelo regime ucraniano em Bucha e Kramatorsk, e colocou sem reservas toda a responsabilidade do lado russo", disse Zakharova.

Condenando tais "declarações" suíças, ela acrescentou que espera que, para o governo suíço, o princípio de neutralidade não se trate apenas de "palavras bonitas".

A Suíça tem seguido as sanções da União Europeia contra a Rússia e tem condenado regularmente tanto a invasão quanto as supostas violações do direito humanitário internacional que têm surgido desde então.

Um mês atrás, após a onda inicial de sanções ter sido imposta, a Rússia já colocou a nação alpina em uma lista de cerca de 50 países "hostis".

Contatado pela agência de notícias Keystone-SDA na terça-feira, o Ministério das Relações Exteriores suíço recusou-se a dar uma resposta à declaração russa.

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?