Navigation

Processo eleitoral iraquiano toma forma em Genebra

Cidadãos iraquianos colam propanda eleitoral em Bagdad. Keystone

Centenas de pessoas trabalham na Suíça contra o relógio para a realização das eleições no Iraque, previstas em 30 de janeiro próximo.

Este conteúdo foi publicado em 01. dezembro 2004 minutos

Contratados por uma agência de empregos, essas pessoas montarão um banco de dados com as listas dos eleitores iraquianos.

Todos os iraquianos maiores de 18 anos poderão eleger em 30 de janeiro próximo os 275 membros da nova Assembléia Nacional, que vai redigir e aprovar uma nova Constituição.

Antes das eleições, será preciso ter um registro de eleitores atualizado para que as eleições sejam tanto livres e limpas como que possível na situação atual do país.

Até o final da semana passada, a agência de empregos Manpower havia recrutado mas de 1.100 das 1.400 pessoas que irão trabalhar, por tempo limitado, na criação de um banco de dados informatizado com todos os nomes e endereços por zonas eleitorais.

Uma das fontes de informação são os cupões de racionamento que os iraquianos recebiam durante o programa "petróleo contra alimento" das Nações Unidas, durante o embargo ao regime de Saddam Hussein.

Processo de recrutamento

O comitê independente, patrocinado pelas Nações Unidas para organizar as eleições de janeiro no Iraque, contratou a agência "Manpower" para selecionar pessoal para montar o banco de dados eleitorais.

Charles Parisod, diretor regional da agência, disse a swissinfo que o processo de recrutamento tinha sido um pouco laborioso.

"Tivemos que recrutar e treinar um número enorme de pessoas em muito pouco tempo. Foi preciso uma prova de conhecimento do árabe escrito de cada candidato e sua habilidade em utilizar um teclado árabe de computador".

A empresa teve de pedir às autoridades suíças que agilizassem os trâmites para as autorizações de trabalho das pessoas selecionadas.

"No início houve supresa com a dimensão do projeto e foi preciso agir junto ao governo federal, em Berna," explica Parisod. "Mas ainda há muitas autorizações pendentes e trabalho administrativo pela frente", acrescentou.

Comprovação cuidadosa

Na elaboração das listas, o processo deverá ser cuidadoso. Será necessário verificar a ortografia dos nomes e dos endereços dos cidadãos que aparecem nas listas eleitorais.

"Cada seleção de dados será comprovada por pessoas diferentes", explica Parisod.

As pessoas contratadas até o final de dezembro receberão entre 17 e 24 dólares por hora. Todo o trabalho é feito em Genebra.

Este não é o único trabalho feito na Suíça para as eleições de janeiro. As cédulas eleitorais também serão impressas na Suíça. Elas serão distribuidas em 9 mil locais de votos e serão depositadas em 40 mil urnas.

swissinfo, Ramsey Zarifeh
Adaptação, Claudinê Gonçalves

Fatos

‘Manpower’ é a segunda maior agência de empregos do mundo, depois da suíça Adecco.
A empresa empregará 1.400 pessoas para montar o banco de dados com as listas eleitorais iraquianas.
Os iraquianos elegerão 275 membros de uma nova Assembléia Nacional.
A AN terá a missão de redigir e aprovar uma nova Constituição.

End of insertion
Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?