Navigation

MP suíço visa crimes de guerra russos

A Suíça se juntará a uma série de nações reunindo provas de crimes de guerra na Ucrânia. Copyright 2022 The Associated Press. All Rights Reserved.

O Ministério Público suíço formou uma nova força-tarefa para identificar crimes de guerra que estão sendo cometidos na Ucrânia.

Textos traduzidos automaticamente de EN.
Este conteúdo foi publicado em 22. março 2022 - 17:43
swissinfo.ch/mga

A Procuradoria Geral da Confederação diz que a força-tarefa coletará provas dos refugiados que chegam à Suíça para passar ao Tribunal Penal Internacional em Haia.

O Presidente dos Estados Unidos Joe Biden qualificou o Presidente russo Vladimir Putin de criminoso de guerra, enquanto vários órgãos internacionais dizem que há provas crescentes de crimes de guerra sendo cometidos por forças russas.

A unidade do MP suíço também está pronta para detectar e processar crimes de guerra cometidos por cidadãos suíços e ajudar a Secretaria de Estado para Assuntos Econômicos a lidar com violações de sanções.

O MP disse na terça-feira que está "pronto para agir de forma rápida e eficiente sempre que for necessário".

Após as reticências iniciais, a Suíça segueLink externo agora as sanções da União EuropeiaLink externo dirigidas a pessoas e entidades russas.

Melhoria do fluxo de informações

O Procurador Geral Stefan Blättler se encarregará da força-tarefa que é composta por vários chefes de departamento e procuradores especializados.

Parte do mandato é "assegurar que o fluxo contínuo de informações com parceiros nacionais e internacionais seja fortalecido".

O MP ainda não abriu nenhuma investigação penal em relação à invasão russa da Ucrânia.

Os pedidos de cooperação jurídica entre a Suíça e a Rússia foram congelados até que o Ministério da Justiça forneça novas orientações. A Suíça também suspendeu o envio de pedidos de cooperação jurídica para a Ucrânia.

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?