Navigation

MPF denuncia ministro da Educação por homofobia

O ministro da Educação, Milton Ribeiro afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 31. janeiro 2022 - 23:20
(AFP)

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou nesta segunda-feira (31) o ministro da Educação, o pastor evangélico Milton Ribeiro, por declarações de 2020 em que vinculou a homossexualidade a "famílias desajustadas".

"o afirmar que adolescentes homossexuais procedem de famílias desajustadas, o denunciado discrimina jovens por sua orientação sexual e preconceituosamente desqualifica as famílias em que criados, afirmando serem desajustadas", indicou o vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, na denúncia apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF), segundo nota publicada no site do MPF.

A homofobia é um crime no Brasil desde meados de 2019, quando o STF decidiu que preconceito contra homossexuais e transsexuais são uma forma de racismo.

A denúncia diz respeito às declarações do ministro Ribeiro em entrevista concedida ao jornal O Estado de São Paulo em setembro de 2020, dois meses depois de assumir a pasta da Educação, na qual falcou de "homossexualismo", termo considerado depreciativo pela comunidade gay.

"Acho que o adolescente, que muitas vezes opta por andar no caminho do homossexualismo (sic), tem um contexto familiar muito próximo, basta fazer uma pesquisa. São famílias desajustadas, algumas", disse Ribeiro na ocasião.

"Falta atenção do pai, falta atenção da mãe. Vejo menino de 12, 13 anos optando por ser gay, nunca esteve com uma mulher de fato, com um homem de fato, e caminhar por aí. São questões de valores e princípios", continuou o ministro na entrevista.

O STF terá agora que decidir se aceita a denúncia do MPF para abrir o processo contra o ministro.

Na mesma entrevista, Ribeiro considerou não ser necessário debater questões de gênero e sexualidade em sala de aula.

Durante a investigação pelas declarações, Ribeiro declarou à Polícia Federal (PF) em março de 2021 que não quis "desrespeitar ninguém", e que "a família dos gays são famílias como a sua".

A AFP solicitou ao ministério da Educação uma declaração sobre a denúncia, mas não obteve resposta.

Ribeiro, um teólogo, advogado e pastor da Igreja Presbiteriana, de 63 anos, assumiu a pasta em 16 de julho de 2020, se tornando o quarto ministro da Educação do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?

Não foi possível salvar sua assinatura. Por favor, tente novamente.
Quase terminado… Nós precisamos confirmar o seu endereço e-mail. Para finalizar o processo de inscrição, clique por favor no link do e-mail enviado por nós há pouco

Leia nossas mais interessantes reportagens da semana

Assine agora e receba gratuitamente nossas melhores reportagens em sua caixa de correio eletrônico.

A política de privacidade da SRG SSR oferece informações adicionais sobre o processamento de dados.