Navigation

"Angela Merkel foi uma grande amiga da Suíça"

Para Johann Schneider-Ammann, a chanceler alemã Angela Merkel, é uma mulher muito culta, modesta e ponderada. O ex-presidente e ex-ministro da Economia suíço conta os momentos que compartilhou com Merkel, como quando ela o levou para casa de avião.

Este conteúdo foi publicado em 27. setembro 2021 - 15:45

Lembro-me com muito carinho de meus encontros com a chanceler Angela Merkel. Foram experiências formativas para mim. Encontrei a sra. Merkel várias vezes durante meu ano presidencial. Logo no início do ano, na feira de tecnologia da informação CeBIT, em Hanover. Era importante para nós dois que nossos países fossem e permanecessem competitivos e inovadores.

A chanceler Merkel reconheceu, como ninguém tinha feito antes, a importância da abertura do túnel ferroviário do São GotardoLink externo. Ela viajou especialmente para a sua inauguração, no dia 1º de junho de 2016. Na época, o túnel e sua abertura também se mostravam como um sinal de que a Suíça gostaria de dar sua contribuição à União Europeia e apoiar o máximo possível o sucesso da Europa e da UE. A sra. Merkel reconhecia isso e sempre nos tratou como parte da Europa. Na inauguração, ela destacou que o túnel criava o coração, mas que ainda faltava a aorta.

No verão de 2016, nós dois participamos da cúpula da ASEAN, em Ulan Bator. A Mongólia se mostrou em seu melhor momento. Mas o dia da partida arriscava ser complicado para mim. O jato do Conselho Federal não foi autorizado a decolar. Tomei a liberdade de perguntar se poderia voar de volta para Berlim com a Sra. Merkel em seu avião. A resposta não demorou a chegar: “É claro; não é preciso dizer que estamos felizes em ajudar nossos vizinhos”. Foram horas muito emocionantes e intensas. Elas contribuíram para que depois a chanceler nos ajudasse com o dossiê europeu.

Com a saída da sra. Merkel, a Suíça perde uma líder justa, que sempre levou em consideração os desenvolvimentos históricos da Europa e da Suíça.

Também tenho ótimas lembranças de nossa reunião em novembro de 2016, na chancelaria federal. Essa reunião contribuiu significativamente para que aqueles envolvidos com os países da UE, os políticos e os gestores em Bruxelas, procurassem o que havia “em comum” e não o que era “divergente”. A sra. Merkel nos mostrou o caminho com sua visão, seus valores e sua postura, mas também com seu enorme conhecimento e suas habilidades. Ela reconheceu que a Suíça é mais europeia do que alguns Estados e cidadãos da UE. Também gostaria de agradecer à chanceler por isso.

O fator decisivo em todos esses encontros sempre foi que nos dávamos bem e gostávamos um do outro. Nós nos entendíamos imediatamente. Ela provavelmente viu em mim o típico suíço que pensa antes de falar. E eu vi na sra. Merkel uma mulher muito instruída, modesta e “pé no chão”. Você fica com a impressão de que ela é a irmã mais velha. A irmã mais velha que cuida de você e a quem você, de bom grado, confia informações.

Para mim, a sra. Merkel foi e continua sendo um farol pelo qual se orientar. Alguém que coloca as pessoas em primeiro lugar. Ela sempre foi uma grande amiga da Suíça. Foi e ainda é uma grande honra para mim tê-la conhecido, e ter trabalhado e conversado com ela. Em nome da Suíça, gostaria de agradecê-la pelo seu valioso apoio. Desejo-lhe apenas o melhor para o futuro!

Adaptação: Clarice Dominguez

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?